sábado, 7 de maio de 2011

De recordações e se supreender




Sempre me surpreende o quanto me afetas.
E me surpreende o quão frequentemente eu esqueço o que sinto,
e o quão surpresa eu fico quando redescrubro esse sentir.

Toda vez.
Todas as vezes.

E, ao lembrar, me repreendo, com um sorriso, por ter esquecido.
E, sorrindo, me repreendo de novo e de novo.

Hoje, mais uma vez, eu lembrei.

E pode ser a coisa mais tênua, o gesto mais suave, a brisa mais leve, que me faz recordar de ti.
E podem ter se passado anos desde que nos vimos,
ou que eu pensei em você, e me senti tua.
Ou podem ter passado apenas semanas, dias, horas.

Fico admirada como meu pensar se espande,
meu sorriso fica fácil,
tudo parece mais simples,
e meu corpo reage sempre, e sempre de uma maneira distinta.

Meu coração palpita, suave e então alardeia em meu peito, afoito
Meus olhos transbordam de emoções variadas
Cada célula do meu corpo ganha vida
E se expressa por inteiro

Minhas mãos tremulam mesmo tempos depois,
só ao lembrar que estive contigo, e em ti,
e que existes.

Sempre foste parte de mim,
corres em meu sangue,
e só quando me percebo apaixonada, então vivo

És de sombra, e de luz,
eu focada em ti,
és de som e silêncio,
lanço minha voz em ti,
és estático e és movimento,
eu me ponho em ação.
e o meu eu entã
entra de verdade em cena,
e sou tudo que posso ser

Quando cada detalhe se torna importante,
e cada segundo, eterno,
e cada movimento especial,
sinto que voltei às origens,
sinto que sei quem sou
e o que devo fazer

E a cada nova temporada,
a cada renovar de desafios,
renasce minha paixão,
e me surpreendo
com o quanto me afetas,
e com o quanto és o que sou.




2 comentários:

  1. Acabei de lembrar da minha fase poética...
    Me repreendi com um sorriso ;)

    ResponderExcluir
  2. não sabia q vc teve uma fase poética

    ResponderExcluir