sábado, 23 de abril de 2011

De um conversível inesperado


Hoje, voltando da igreja, vimos um conversível vermelho que nos fez sorrir...

Dirigindo o carro estava um senhor de cabelo branco e, ao seu lado, outro senhor, igualmente idoso.
Tivemos a sorte de compartilhar o mesmo caminho por algum tempo, o que abrilhantou a noite e nos levou a conversar e refletir sobre o motivo de dois velhinhos como aqueles estarem na rua, por volta de nove da noite, em pleno sábado de páscoa, aparentemente só passeando em seu conversível vermelho...


Quando emparelhamos por um tempo, abrimos as janelas - na maior cara de pau e bisbilhotice, admito! - e percebemos que eles ouviam algo que soava como música americana dos anos 60, 70, e se divertiam com ela.

Pudemos perceber ambos balançando as cabeças no ritmo da música, e até vimos o motorista levantar a mão uma ou duas vezes, simplesmente curtindo a música.

Seriam aqueles dois irmãos, amigos, ou simplesmente dois conhecidos curtindo um conversível vermelho?
Será que eles estavam indo a algum lugar, quem sabe a casa de algum netinho ansioso, ou donzelas de cabelos brancos pra levar pra dar uma volta?

Não soubemos muita coisa, pois logo tivemos que tomar rumos distintos, mas foi maravilhoso ver os dois simplesmente se divertindo, ali na nossa frente, cabelos ao vento e música ao redor...

Não sei quem eles eram, nem acho que um dia os verei de novo, mas eles trouxeram um sorriso aos meus lábios numa noite especial.


Um comentário:

  1. Meu carro é vermelho, não uso espelho pra me pentear aUHHUAhuhauUH

    ResponderExcluir